As capitais do Brasil: Salvador, Rio de Janeiro e Brasília.

EF03HI01 – Identificar os grupos populacionais que formam a cidade, o município e a região, as relações estabelecidas entre eles e os eventos que marcam a formação da cidade, como fenômenos migratórios, contradições presentes na vida rural e na vida urbana, desmatamentos, estabelecimento de grandes empresas, etc.
EF03HI02 – Selecionar, por meio da consulta de fontes de diferentes naturezas, e registrar acontecimentos ocorridos ao longo do tempo na cidade ou região em que vive.
EF03HI03 – Identificar e comparar pontos de vista em relação a eventos significativos do local em que vive, aspectos relacionados a condições sociais e à presença de diferentes grupos sociais e culturais, com especial destaque para as culturas africanas (afro-brasileiras e quilombolas), indígenas, migrantes e refugiados.

História de cidades brasileiras

Há 500 anos, quando o navegador português Pedro Álvares Cabral chegou às terras onde hoje é o Brasil, não havia povoados, nem vilas nem cidades. Essas terras eram habitadas por povos indígenas que se encontravam espalhados por todo o território.

São Vicente: a primeira vila.

Ao chegar aqui, os portugueses se interessaram pelo pau-brasil, madeira de grande valor comercial para tingir tecidos. E, então, começaram a trocar essa madeira com os indígenas. A troca era assim: os indígenas cortavam e transportavam o pau-brasil para os portugueses em troca recebiam objetos úteis como facas e espelhos, essa troca era chamada de escambo.

Naquela mesma época, os franceses também chegaram às terras brasileiras e também faziam trocas com os indígenas pelo pau-brasil. Para não perder as terras brasileiras, o rei de Portugal decidiu enviar pessoas para morarem aqui.

Em 1530, Martim Afonso de Souza veio para cá combater os franceses a mando do rei de Portugal. Aqui chegando, formou um pequeno povoado que, meses depois, foi elevado a vila de São Vicente, a primeira do Brasil. Com o passar do tempo e o aumento da população, a vila de São Vicente foi elevada a cidade.

As primeiras vilas brasileiras foram fundadas no litoral. Pelos portos dessas vilas o pau-brasil e o açúcar produzidos aqui eram levados para Portugal. De Portugal também vinham alimentos e roupas.

As Capitais do Brasil

Salvador

Para aumentar seu controle sobre o Brasil, o rei de Portugal enviou à Bahia, em 1548, o primeiro governador-geral, Tomé de Souza. Com ele vieram também padres jesuítas, trabalhadores como pedreiros, carpinteiros, telheiros e soldados. Parte da mata foi derrubada e teve início a construção da cidade de Salvador que foi fundada em 1549. Os indígenas que ali viviam batalharam por suas terras mas foram vencidos pelos portugueses.

A cidade possuía duas áreas distintas: a parte alta e a parte baixa. Na parte alta, ficavam as casas de moradia, a casa do governo, a casa da Câmara e o colégio dos jesuítas. Na parte baixa, foram erguidos os armazéns e as casa das demais pessoas.

Salvador foi a primeira capital do Brasil. Durante o tempo em que foi capital, de 1548 a 1763, a cidade passou por grandes transformações. Em 1624, foi atacada pelos holandeses que também estavam interessados nas riquezas do Brasil. No ano seguinte, os holandeses foram expulsos e a cidade voltou a crescer. Os engenhos de produção de açúcar se multiplicaram, o comércio aumentou. Abriram-se ruas, ergueram-se igrejas e sobrados (casas com dois ou mais andares). Os donos de plantações de cana-de-açúcar ficavam nesses sobrados quando iam à cidade.

Rio de Janeiro

A história do Rio de Janeiro está ligada à invasão dos franceses à baía de Guanabara. Em 1555, um grupo de franceses entrou na baía de Guanabara e lá se estabeleceu. Esses franceses aqui se estabeleceram, pois na França eram perseguidos por seres protestantes. Aproveitaram também para comercializar pau-brasil e outras riquezas.

Após três anos dessa invasão francesa, o rei de Portugal enviou ao Brasil Mem de Sá, o terceiro governador-geral. Ele liderou a luta contra os franceses. Em 1565, seu sobrinho, Estácio de Sá, chegou com seus soldados para ajudar a combater os franceses. E, num local próximo ao morro do Pão de Açúcar, ele fundou um forte que deu origem a cidade do Rio de Janeiro.

Há mais de 300 anos, descobriu-se ouro em Minas Gerais. Como a cidade do Rio de Janeiro ficava mais próxima da região onde o ouro foi encontrado, o rei de Portugal decidiu mudar a capital de Salvador para o Rio de Janeiro em 1763. O Rio de Janeiro tornou-se a segunda capital do país.

Brasília

Durante seu governo, o presidente Juscelino Kubitschek mudou a capital para o interior do Brasil. O objetivo da mudança era integrar as várias partes do país. A ideia não era nova, mas foi no governo Juscelino que liderou a construção de Brasília. A cidade foi planejada por Oscar Niemeyer e Lúcio Costa.

Mas, para que sua ideia da mudança de capital se transformasse em realidade, foi necessário que milhares de pessoas, vindas de vários cantos do país, trabalhassem muito durante quatro anos para construir Brasília.

Esses trabalhadores vieram sobretudo do nordeste brasileiro e foram chamados de candangos. Devido ao trabalho desses candangos Brasília foi inaugurada em 21 de abril de 1960.

Atividades

1. Quem eram os habitantes do Brasil antes da chegada dos portugueses?
2. Qual a primeira riqueza retirada do Brasil pelos portugueses?
3. O que é escambo?
4. Por que o rei de Portugal resolveu enviar pessoas para morarem no Brasil?
5. Qual era a missão de Martim Afonso de Souza?
6. Quem foi Tomé de Souza?
7. Como a cidade de Salvador é organizada?
8. Por que Salvador deixou de ser a capital do país?
9. Por que Brasília foi construída?
10. Quem eram os candangos?

Acesse o Índice de Conteúdos de História.

 

 

   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.